Já era a Era Dunga!

Outro fiasco, novos culpados. De novo, tentamos achar culpados e conseguimos. Um jogador faz uma “bobeirinha” e ele é o culpado. Ou é o técnico, o sempre burro.
Mas, para ser sincero, dessa vez o técnico errou, não foi burro, mas errou. E errou feio.
Dunga admitia uma filosofia de “coerência e comprometimento”, um lema da era Dunga, e Dunga não iria repetir os mesmos erros de 2006, onde a Seleção Brasileira não tinha privacidade, e em 2010 Dunga foi exagerado. Fechou sua equipe. Brigou com a imprensa, com qual Dunga nunca teve uma relação estável.
Mas por qual razão Dunga perdeu?
No dia 11 de maio de 2010, Dunga convocou seus 23 jogadores, nos quais ele dizia ter sua total confiança. Foi questionado por não ter levado PH Ganso e Neymar,e por ter levado Grafite. Mas o que todos diziam era que no grupo de Dunga faltava algo. Um fator surpresa, um cara diferente, craque.
Exatamente um mês depois da convocação, começava o Mundial da África do Sul,e quatro dias depois de seu começo, a estréia brasileira, no Ellis Park contra a fraca Coreia do Norte. Tudo bem. Vitória, jogo complicado, 2 a 1, mas três pontos são três pontos.
5 dias depois, foi o jogo contra os marfinenses, no gigante Soccer City.
O time de Dunga joga bem e convence os torcedores, e a segunda vitória e a classificação. E lá ia a equipe de Dunga!
No dia 25 de junho, o jogo contra os portugueses, com eles praticamente classificados, resultado: jogo sem graça e empate.
Três dias depois, veio o Chile, empolgado, mas, como sempre, presa fácil : 3 a 0 Brasil e empolgação brasileira. O duelo para as quartas-de-final começava a se desenhar. Um duelo contra a Holanda.
No dia 2, veio a partida decisiva. Clássico do futebol mundial.
Primeiro tempo, Brasil bem, vai lá com um passe magistral de Felipe Melo e um a zero. Brasil joga muito bem. Kaká perde uma chance, com Stekelenburg defendendo bem e Juan perde outra, mandando pra fora.
Segundo tempo: o Brasil parece mudado. O time joga diferente. Toma o empate acidental, em um cruzamento de Sneijder e falha do nosso goleiro que tantas vezes nos salvou. O Brasil, um time consistente se abate diante da Holanda. A experiência não pareceu dar conta da responsabilidade. Escanteio. Cruzamento. Gol de Sneijder. De cabeça, ainda. Holanda 2 x 1 Brasil. O time não consegue jogar. Pareceu abatido após o primeiro gol tomado e após o segundo então, nem se fala.
Fim do sonho. Fim do hexa.

Dunga, durante a partida tirou o Fabuloso e colocou Nilmar; tirou Michel Bastos e colocou Gilberto por causa de Robben; mas não era isso,faltava outra coisa, talvez um Ganso, um Neymar, um Ronaldinho Gaúcho. E ainda teve o pisão de Felipe Melo, mas não foi tudo culpa dele. O time não jogou o que devia, e se abateu após o primeiro gol sofrido.É que há vezes que o futebol nos pega de surpresa: aquele gol de Juan teria constado aqui, ou o de Kaká.
Mas o futebol é assim e a Holanda foi melhor.

Por: Felipe Saturnino

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: