Archive for novembro, 2010

28/11/2010

Barcelona x Real Madrid: prévia do melhor clássico do mundo

Amanhã teremos mais um clássico, só que não será no Brasileirão, e sim será lá na Europa, mais especificamente na Espanha. Pra mim, o melhor clássico do mundo (não o maior).
Real x Barça. Barça x Real. A história deste clássico não se limita somente às quatro linhas de um campo de futebol, e sim, predomina em filosofias diferentes e políticas contrárias.
Mas aqui, no blog, a análise será limitada somente e exclusivamente aos dois times, dentro de campo.

Como será o jogo da segunda?
Pensemos agora. Mourinho pode tanto jogar no tradicional 4-2-3-1 que vem utilizando sempre no Real, como também pode aprontar uma surpresa, como por exemplo plantar mais um volante fazendo frente aos seus zagueiros, como por exemplo Lassana Diarra. Pode também utilizar até mesmo Marcelo como um meia, colocando Arbeloa na lateral-esquerda. Desta forma, Marcelo teria Alonso e Khedira ao seu lado, com Di María e Ozil, com Cristiano sendo o único atacante, sacando Gonzalo Higuaín. É uma possiblidade, já que Mourinho é muito estratégico. E sempre apronta alguma, ainda mais em um jogo desse nível.
Pelo lado catalão do Barcelona, a equipe deve vir com com a defesa sem grande diferença, porém penso que Abidal pode ser sacado para a entrada de Adriano. Isso faria com que houvessem grande variação de jogadas entre os dois laterais, que dariam muito trabalho aos laterais do Madrid, que devem ser Ramos e Marcelo. Se não houver grande mudança, mesmo assim Ramos não deve avançar muito. Por ali podem jogar Iniesta, Villa ou Pedro, com até mesmo Messi. E Marcelo deve ter “o duelo” contra Daniel Alves pelo lado direito da equipe barcelonista. O meio-de-campo do Barça deve vir com Busquets, Xavi, Iniesta e Messi. À frente, Pedro e Villa. Ou ele pode sacar Pedro, e empurrar Messi para encostar em Villa, caso ele queira colocar Touré ou Keita no jogo, o que é bem possível.
A defesa barcelonista tem uma boa dupla de zaga, com Piqué e Puyol, que devem encontrar muito com Cristiano Ronaldo, Oezil, Di María e Higuaín que estão no ataque madrilenho. Sobre o aatque do Barça, não tem muito o que falar. Messi deve iniciar centralizado, e aí deve variar nos lados do campo. Villa pode cair pela direita, e Pedro pela esquerda. Iniesta pela esquerda, com Xavi mais recuado e Busquets fazendo papel de primeiro volante.

Um pouco mais de tempo de espera, esse clássico será épico. Messi ou Cristiano Ronaldo? Daniel Alves ou Marcelo? Valdés ou Casillas?
Barcelona ou Real Madrid?

Pra mim, o Real pode levar, e meu palpite é um dois a um. Para o Madrid. Porém se o Barça vencer, não será nada anormal, afinal, ainda é o melhor time do mundo.

Por: Felipe Saturnino

22/11/2010

O final da reta final

Depois de mais um ano de campeonato de pontos corridos, ouço mais pessoas falando que a fórmula é ruim e favorece a entrega. Bem, o entre-entrega pode ser feito também em um campeonato mata-mata.

Mas vamos ao que interessa: a rodada.

Corinthians perde liderança e Flu é líder novamente

Em um jogo em difícil, o Corinthians jogou no Barradão contra o Vitória e não obteve um resultado satisfatório. 1 a 1 e a perda da liderança. Esse é um dos problemas. O outro foi ver o time não jogar como um time de campeão, indo pra cima organizadamente. Cautela faz bem, mas chamar o Vitória pra cima não é aconselhável. Depois do gol de Danilo com um passe primoroso de Ronaldo – que depois sairia lesionado – o Corinthians simplesmente se absteve e negou poder de fogo no ataque. Também, Ronaldo era o “cara” da ofensividade corintiana. Bruno César e Dentinho estavam suspensos, e o Corinthians perdeu muito nisso; continuando, após o gol o Corinthians não atacou e tomou o gol no penal batido pelo arqueiro Viáfara. 1 a 1 e “Bye,bye” liderança.
Jorge Henrique é titular, mas tem participação discreta: Corinthians perde liderança e vê penta mais difícil
O Flu aproveitou o tropeço alvinegro para tomar as rédeas no Campeonato. Vitória imposta com “autoridade”. Se o São Paulo entregou, não sei, não vi o jogo. Mas créditos ao Flu, que aproveitou as duas expulsões dos são-paulinos Xandão e Richarlyson, e fez um 4 a 1 totalmente para alegrar a torcida tricolor. Digo tricolor me referindo também aos são-paulinos, que adorariam que seu time entregasse. Com isso, Muricy se aporxima do seu tetracampeonato nos pontos corridos do Brasileirão, estando com um ponto de vantagem sobre o Corinthians, que leva um ponto sobre os cruzeirenses, que, nem tampouco esquecidos assim, levaram a peleja bem para com o Vasco, que poderia ter sido outro caso de entrega. Porém, o Cruzeiro mereceu a vitória.
Fred faz gol e Flu vence: tricolor carioca é líder
Pra mim, o Fluminense está com uma das mãos na taça. Enfrenta o Palmeiras, desprovido de interesse na peleja, pois a equipe alviverde só tem olhos para o torneio da Copa Sul-Americana e deve poupar. Na última partida, o Flu pega o Bugre, que se não estiver rebaixado, terá que jogar bola pra bode se quiser permanecer na primeirona.
O Corinthians pega Vasco e Goiás; por conseguinte, o Cruzeiro, com nem tantas chances assim, mas mesmo assim vivo enfrenta o Flamengo – praticamente consolidado na primeira divisão – e o Palmeiras.
Agora me digam: o Fluminense está ou não está com uma das mãos na taça?
A taça do Brasileirão pode e deve ser do Flu em 2010

Por: Felipe Saturnino

17/11/2010

Argentina 1 x 0 Brasil: o jogo do craque

Depois de muito tempo sem escrever no meu blog, volto hoje a escrever um post, e um post de grande importância: o post do clássico Brasil x Argentina.
Para a Seleção Brasileira de Mano Menezes, um teste para a nova geração que não resgata nada do treinador anterior. Para a equipe de Batista, outro teste para uma equipe que se renova lentamente e que apresenta muitos remanescentes do Mundial na África do Sul.

Era o jogo para um cara brilhar. Um jogo pra um cara que chama a responsabilidade jogar. Não era um jogo pra somente um desconhecido brilhar. Era o dia de um craque.
De um lado, o Brasil com dois laterais que dão um ótimo apoio com Daniel Alves na direita e André Santos na esquerda; com um meio-de-campo muito técnico com Lucas, Ramires e Elias, e também Ronaldinho, que voltou a ser um meia centralizado e não um atacante aberto pelos flancos do campo. Neymar abria por um lado e Robinho pelo outro mais ao ataque. Pato havia sido cortado, e fez falta. A defesa argentina não se comportou mal: Pareja e Burdisso fizeram boa apresentação (dentro do possível). Não é uma dupla como a brasileira, que apesar de cometer falhas, é muito boa tecnicamente, mas eles deram conta do recado. No meio-de-campo argentino, Mascherano era o primeiro homem – como é de praxe – Éver Banega e Pastore ficavam mais a frente em um atauqe que tinha Higuaín centralizado, Messi e Di María pelos lados do campo.
Aí que estava o nome do jogo, e o nome do futebol atualmente. MESSI não foi “tudo isso” no primeiro tempo, mas meteu uma bola quase que no travessão. E ele poderia decidir em qualquer lance, pudesse que fosse o minucioso espaço de domínio de bola do argentino natural de Rosário, ele poderia matar a partida em um toque ou chute ou outra coisa.
O Brasil tinha uma bola no travessão de Daniel Alves, Mascherano tinha jogado contra o patrimônio argentino em um lance mas era só. Neymar fez jogadas, e isso foi bom, ele tentou e tentou ir pra cima dos zagueiros argentinos. A saída poderia ter sido jogar mais pelo lado do frágil Heinze, que joga de lateral há tempos, mas nada resolve. Apóia sem muito sucesso e marca “até que nem tão mal assim”. Pela direita, Zanetti jogava e bem, por lá caiam Neymar que conseguiu fazer uma jogada e foi isso. O Brasil foi melhor mas tava 0-0.

Em um jogo com esse, tem que aparecer alguém diferente. Jogo de meio-de-campo, de marcação e muito truncado. Apareceu um que faz a diferença: Messi.
Como disse anteriormente, ele poderia ser o protagonista, e foi.
Douglas entrou no lugar de Gaúcho e perdeu a bola pra Lavezzi, que deu pra Messi, que levou, levou, levou e guardou. O jogo do craque foi digno de Messi. 1 a 0, nos últimos minutos, senão o último.
Messi passa por 3 e faz golaço: fim de tabu contra o Brasil

Para o Brasil, a perspectiva de um bom trabalho, um ótimo jogo do Brasil, que foi melhor, marcou melhor e teve mais chances. Só que o time do mais talentoso, mais habilidoso e mais cerebral venceu. E infelizmente, era o time da Argentina. Bola pra frente…

Por: Felipe Saturnino

17/11/2010

Brasil x Argentina

Daqui a pouco o jogo que eu tava esperando. O Brasil tem um time mais completo, mas ainda em formação. Eu temo os hermanos por Messi e cia.
Meu palpite é um empate.

Daqui a pouco. 15h30