15 dias de futebol: o que se passou?

Depois de 15 dias de baixa, o blog volta ao trabalho normal após um período de tempo-de-não-fazer-nada. Então, para acabar com a escassez de conteúdo em 15 dias, aqui estou eu para esclarecer o que se passou no mundo do futebol em 15 dias ou 360 horas ou 21.600 minutos desde o último post de O Pitaco Boleirístico.

Na Europa

– O confronto Real Madrid e Barcelona vai acontecer… apenas não será na final da Champions League. O clássico de maior abrangência mundial nos tempos atuais vai existir nas semi da Liga dos Campeões. E o mês será bom, já que teremos três Real Madrid x Barcelona: o primeiro vai ser o de sábado, pela volta do Campeonato Espanhol (praticamente ganho pelo Barcelona). O segundo seria no dia 20, pela Copa do Rei, no Mestalla, estádio do Valencia. O outro ocorreria exatamente pela UCL, no dia 26 ou 27. O jogo da volta aconteceria em 3 ou 4 de maio. O melhor mês do ano.

– Ainda na Champions, o Madrid jogou bem, mas pouco foi exigido pelo Tottenham. Crouch foi expulso antes dos 15 da etapa inicial e a equipe do comandante Redknapp não conseguiu produzir nada com um a menos. Adebayor fez dois de cabeça, Di María fez um gol primoroso e Cristiano deixou sua marca após passe sensacional de Kaká. O Barça fez 5 a 1 jogando como Barça. Só creio que o Shakthar poderia ter dado mais trabalho, já que desperdiçou chances que grandes equipes não desperdiçariam. Essa é a diferença entre um time médio em ascensão e um time grande: os jogadores suportam distintos níveis de pressão em jogos e não perdem tantas chances do tipo. A Inter foi engolida pelo Schalke: 5 a 2 para os alemães. Aquele equilíbrio que tinha citado simplesmente não existiu. A Inter sentiu a má sequência e perdeu em casa, quase que automaticamente anulando suas chances em Gelsenkirchen. Raúl deixou sua marca – mais uma vez. Leonardo balança no cargo. E no clássico inglês, Wayne Rooney deixou o suas inicias em Stamford Bridge. A vitória do muito consistente time de Ferguson que me contrariou e derrotou o Chelsea em Londres. E Torres, fez uma ótima atuação, com 0 gols.

– Na Itália, Milan. Na Espanha, Barça. Inglaterra, Manchester. Em terras germâncias, o Borussia Dortmund. Os campeonatos estão bem encaminhados.

No Brasil

– São Paulo passou para as oitavas da Copa do Brasil, com um pouco de muito sofrimento. Ceni tem tanto crédito que jogou no lixo seu penal pessimamente arrematado contra o Santa Cruz. Tudo para, no domingo, bater com certeza e celebrar 101 gols. O Sampa parece realmente se achar, e não perde há 3 jogos.

– Corinthians e sua dependência de Liédson. E quando nada funciona. Nem Liédson, nem Willian, nem JH? Talvez, o real problema seja a chegada da equipe ao ataque e não a conclusão. Para os que temem que o problema sejam ambos, melhor ficar com Adriano e Seedorf. O último, é uma boa ou não? Analiso melhor no próximo post, que deve acontecer amanhã.

– O Flu teve um fim de semana tranquilo, dentro dos seus limites. Fez 5 a 1 no Americano e está vivo na Taça Rio. Compensa a pífia campanha na Liberta? Não. Muito pouco para um time do nível do Flu.

– E o Inter tem Falcão. Boa? Pelo histórico, pelo que representa, pelo que entende, pode até ser. Mas, Roth não poderia ter ido agora. Ou ia em dezembro ou não agora. Simplesmente não compreensível o que fizeram com Roth.

– E o Vasco vai crescendo na Colina. Gomes parece que deu açúcar ao suco azedo vascaíno, e agora está no ponto. A equipe se acertou até chegar onde está hoje, líder do seu grupo e classificado para as semifinais da Taça Rio. Parâmetro para medir o nível nacional do time? É o único que temos por hora. A hora da verdade será mês que vem, no Brasileirão. E esse será muito bom de se ver.

– E o Santos, de Muricy, ainda está em um começo de acerto. Porém, ter Ganso e Neymar, em certos momentos, pode enganar quem vê a equipe. Tem bons jogadores, mas tem que se acertar em aspectos. Diferente do Palmeiras, que se acertou defensivamente, e isso faz com que seja a vertente de seu jogo. É o time mais pronto do Paulistão, junto com o São Paulo. Porém, torcedor, não se engane. Estar pronto não faz do time melhor ou pior. O padrão momentâneo da equipe, porém, favorece o jogo de um time entrosado. Santos e Corinthians têm elenco suficiente para ganhar um Paulistão, apenas têm que acertar alguns aspectos do seu jogo.

Siga-me no twitter: felipesaturno

Por: Felipe Saturnino

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: