Simplesmente, Barcelona

O Barcelona não é um clube de futebol. É uma escola do esporte bretão, que une filosofia de jogo à execução mais categórica e elegante que já tenhamos visto deste mesmo esporte. Unir finesse, exuberância, elegância e alguns outros atributos que posso citar é algo que o faz ser o que de fato hoje é: o melhor time do mundo. Talvez, da história.

Messi é um dos maestros. Mas de fato, quando pega na bola, é o que quer ditar o ritmo por si só. Xavi e Iniesta são os outros dois que comandam o meio-de-campo com mais maestria ainda. Mas eles são jogadores de menor ” arrogância”. Geralmente, não fazem isso. E verdade seja dita, a arrogância no termo aqui colocado não é em um mau sentido. É no dos melhores da palavra.

Porque para definir Messi, não tem muita coisa. Não tenham medo se ele vir a ganhar mais uma Champions League no ano que virá. Não temam se por acaso, marcar mais 50 gols na temporada 2011/2012. Messi é craque, é gênio. Ou melhor, parece entrar nesse estágio.

O United me decepcionou. Começou o jogo de uma boa forma: marcando forte e consistentemente o Barça no seu campo de defesa. Pouco resultou. Em 5 minutos, se deu ao Barça o direito de tocar a bola de cá pra lá, virar daqui pra acolá. O United tomou um baile. E foi de uma forma bem pior. A equipe deu muito espaço ao time de Pep Guardiola. Xavi, Iniesta e Messi atuaram como sempre. Dessa vez, porém, tinham mais espaço na confusa marcação dos Devils, que hoje não assustaram em nada o Barça. Acho que Ferguson deveria ter começado com Fletcher. Pois, não o fez. Teve a audácia de não colocá-lo, mostrando confiança. O Barça fez o primeiro, e o United empatou. O Barça manteve o nível enquanto o United nem almejou um lampejo de perigo de gol. Um dos times mais frios da Europa hoje conseguiu se complicar no jeito de marcar. E o United é bom, aliás, muito bom time. Somente atuava contra um dos melhores esquadrões da história. O maior time que eu já vi jogar em toda minha vida.

Alguns jogadores do United puderam somente ver o ao Barcelona. Park e Valencia foram dois deles. Dois que não viram a bola hoje, lá em Wembley. Dois dos muitos do United que não conseguiram deter o Barça. Aliás, um time que dificilmente pode ser batido.

Mas, é claro que o United merece ser vice. Cito novamente aqui: é muito bom time. Porém, o Barcelona foi simplesmente, o Barcelona.

Um pouco do jogo: O United começou bem, mas não pôde para o esquadrão de Guardiola. Depois de começar em pressão, o Barça se propôs a jogar em seu tradicional estilo de jogo. Deu certo. Pedro fez o primeiro em Wembley, após um passe magnífico de Xavi Hernández. E cabia mais ao Barcelona, que jogava com espaços e muitas brechas no Manchester Unnited displicente na marcação. Confusão entre Park e Giggs, que se alternavam na esquerda, era um dos pontos que o Barcelona jogava ao seu favor no jogo. Até que Rooney foi lá e deixou sua marca de tento. Depois de boa jogada entre ele e Giggs, que estava impedido, o inglês chutou e marcou. 1 a 1. Nada que impedisse o gol de Messi na segunda etapa. Bonito. Lindo foi o de Villa, que tirou a bola do alcance do seu adversário à frente e ainda tirara de Van Der Sar. Brilhante.

Messi incorpora o sentido do Barcelona. É mais que um time, é mais que um craque.

Por: Felipe Saturnino

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: