A Juventus de Conte: Pirlo ‘pensatore’

A Juventus, após uma temporada sem brilho no Calcio, voltou a ser “interessante” no cenário nacional.

A nova Juventus: 4-2-3-1 com Pirlo na função "cerebral"; Krasic e Pepe abertos, com Del Piero atuando atrás de Vucinic

A contratação de Antonio Conte foi oficializada em maio deste ano. O técnico foi jogador da Juventus, e ídolo, também. Atuou de 1992 até 2004, era meia.
Na temporada atual, os juventinos não entraram como favoritos a vencerem o campeonato italiano, mas, sim, possuem um time muito competitivo e promissor.

Como se vê na figura acima, Conte opta por um 4-2-3-1, com Del Piero atuando por dentro, exercendo a função de meia central. Krasic é o meia mais aberto, assim como Pepe, no lado canhoto do campo. Ambos recompõem e participam das jogadas ofensivas, impondo um ritmo acelerado. Vucinic é o centroavante.

Porém, como todos sabem, Del Piero nunca foi meia articulador. Sempre foi atacante – dos bons, aliás. Ídolo do time de Turim, o avante é técnico, e foi grande jogador no seu auge. Mesmo assim, a função de ‘armador‘ não pertence a ele.

Andrea Pirlo, ex-Milan, é o pensador na Juve. Mesmo não jogando por dentro, mas sim, atuando como um segundo volante, mais periférico no campo. Marchisio é mais fixo – mesmo assim, qualifica a saída. Pirlo é técnico a um nível diferenciado. O passe é refinado, o chute é diferente, o jeito que enxerga o jogo também. Mais um dos motivos que reforçam a tese da criação feita por parte dele. Mas no Milan, porém, Pirlo era mais um homem de meio-de-campo, com um tripé de volantes. Ainda com seu passe refinado, óbvio. Mas sim, tinha participação menor como “centro pensante”.

Hoje, o dono da camisa 21, que leva sua marca, Pirlo mostra que cumpre a função, mesmo não sendo tão constante em uma faixa mais alta do campo. Ele é o organizador que surge de trás, distribuindo e invertendo bolas para os “ponteiros” Krasic e Pepe, que criam espaços e impõem um ritmo mais acelerado.

A Juventus empatou com o Bologna em casa, não mais o Delle Alpi, mas sim a Juventus Arena. E a equipe de Conte não brilhou, mas parece ser promissora. Vucinic foi expulso tolamente, com uma infração totalmente desnecessária. Com um a menos, o time de Bolonha empatou, em 1 a 1, com o zagueiro Portanova.

Os visitantes, também em um 4-2-3-1, que podia sofrer desdobramento pelo posicionamento de Gastón Ramirez se juntando ao avante Acquafresca – formando um 4-4-2 -, não progrediram em campoe, a Juve, novamente, tomou conta do jogo. Pirlo, pensatore, era o organizador nato. Krasic – depois Giaccherini – e Pepe eram incisivos. Mesmo assim, o resultado permaneceu inalterado.

Mas o futuro da Juventus de Antonio Conte é interessante. Novo estádio, novo time, nova temporada. Velho e bom Pirlo.

Pirlo - pensando o jogo da Juve

Por: Felipe Saturnino

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: