United domina os flancos; Giggs comanda meio-campo: 5 a 0 em Londres

Uma ótima atuação dos comandados de Ferguson, que derrotaram o Fulham por 5 a 0 em Craven Cottage, para dar continuidade ao time na perseguição ao rival City, que também venceu na rodada.

A equipe de Old Trafford optou pelo tradicional 4-4-2 que sofre desdobramento de acordo com o posicionamento de Wayne Rooney no campo. O número 10 dos Devils pode regredir ou progredir no campo, configurando as duas formações. Ryan Giggs, o galês de 37 anos, meia, atuou como segundo-volante para qualificar a saída dos visitantes. O trunfo de Ferguson.

Diferentemente de como ocorreu na final da Champions, Giggs poderia jogar aberto em um dos flancos, fazendo trocas para vir jogar por dentro. Hoje, ocorreu com o português Nani. Em alguns momentos do jogo, Giggs poderia se tornar meia-esquerda e, esporadicamente, momentos depois, poderia voltar a ser volante pelo lado esquerdo do meio-campo central. Mais uma vez, fica comprovada a qualidade de Giggs tecnicamente. As mudanças foram bem raras, mas ocorriam.

E o que tornou o jogo mais simples foi como os meias periféricos lidavam com a marcação que recebiam. Nani, em seu primeiro lance no jogo, arrancou pela esquerda, passou por Ruiz e Baird para, no clímax da jogada, dar a bola ao avante Welbeck fazer o primeiro de 5 tentos, aos 4 minutos.

O que também tornou o jogo mais fácil para o United também se relaciona com o trabalho dos volantes do Fulham, que atuava em um 4-2-3-1 com mudanças na ‘linha do 3’. Murphy e Etuhu são muito pouco produtivos, o que faz com que a equipe agrida menos, já que a qualidade na saída é baixíssima. Isto também motiva Giggs a ter feito o que fez, aparecendo no campo adversário, fazendo passes em profundidade para atacantes e meias.

A atuação de hoje, que consta da 4ª maior atuação com passes feitos do United na Premier League desta temporada – com 591 -, tendo 83,7% de aproveitamento desses passes, mostra o quão Giggs pode ser útil em alguns momentos. O galês deu duas assistências, totalizando aproveitamento de 82% nesse fundamento no dia de hoje.

O que, mais uma vez, nos mostra que o 11 do United é, ainda, muito bom jogador, apesar da idade. É opção num time que apesar de eliminado da Champions, é muito forte no Inglês. O único problema do momento é o City. Simples assim.

A versatilidade de Giggs que pode ser um volante ou meia, e o movimento de Nani e Valencia que trucidou um Fulham frágil, que mesmo com movimentação na linha ofensiva, não tinha outro suporte ofensivo e era pobre tecnicamente

Por: Felipe Saturnino

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: